Início | Notícias | Fotos | Brunhoso | Tradições | Artesanato | L. de visitas | Fórum Blog | Ligações  

Brunhoso
Brunhoso em 1908
Origem do nome Brunhoso
Brunhoso, os tempos, a terra e as gentes
Localização
Fotografia por satélite
Sítios Arqueológicos
     Fraga do Poio

     Crasto
Quadras sobre Brunhoso

Poema "Meu Rio Sabor"
Fotografias do Sabor

Tradições da Páscoa
Tradições de Natal

A matança do porco
Alheiras
Rascas
Casamentos do Caneiro
A cultura do linho
A segada




 Crasto

Sítios Arqueológicos - Castro de Brunhoso

Crasto

 

Designação: Crasto de Brunhoso

Tipo de Sítio: Povoado Fortificado

Periodo/Notas: Indeterminado

CNS: 5625

Topónimo: Monte do Crasto

Div. Administrativa: Bragança/Mogadouro/Brunhoso

Classificação: -

Descrição: O Monte do Crasto situa-se a cerca de 600 metros para sudoeste da aldeia de Brunhoso.

Trata-se de uma elevação com uma altitude máxima de 700 m., mas com uma geomorfologia de contornos bastante suaves. A sua implantação permite-lhe razoáveis condições de defesa natural, mormente a oeste e este cujas pendentes descaem respectivamente até aos leitos das ribeiras de Juncaínhos e da Lagariça. A zona de ocupação estende-se ao longo de uma plataforma pouco regular e com uma configuração sensivelmente oval, cujo comprimento máximo poderá atingir os 300 metros e a largura um total de 150 metros. A superfície do solo desta plataforma encontra-se juncada de grandes quantidades de vestígios arqueológicos, sendo de salientar os inúmeros fragmentos de tegula, imbrices, tijolo, escórias, além de uma variedade e quantidade significativas de fragmentos de olaria comum de cronologia romana.

Aproximadamente à cota de 680 m. o terreno descreve uma ligeira quebra dos seus contornos, quebra essa aparentemente artificial e que dá origem a um talude que poderá corresponder aos últimos vestígios de uma possível muralha. No seguimento desse talude, mas já no sector ocidental, zona de maior vulnerabilidade defensiva, emerge uma protuberância no terreno que poderá também indiciar da presença de alguns vestígios de uma qualquer estrutura que compunha a arquitectura defensiva deste sítio. Conforme nos informa Fernando Russel Cortez, em meados do século XX foi achado no Crasto de Brunhoso uma moeda ibérica classificada como um denário com a cunhagem de Sekobirikes.

Ref. Bibliográficas: Povoamento Romano de Trás-os-Montes Oriental/1993
Circulação monetária no Noroeste de Hispânia até 192/1987
Catálogo dos monumentos e sítios arqueológicos do Planalto Mirandês/Brigantia/1998
Moedas ibéricas nos castros bragançanos/Nvmmvs/1957

Trabalhos: Relocalização/Identificação/2003

Datações: -

 

Relocalização/Identificação - 2003


Designação do Sítio: Crasto de Brunhoso

CNS: 5625

Tipo de Trabalho: Relocalização/Identificação

Ano do Trabalho: 2003

Projecto: Relocalização, identificação e inspecção de sítios pela Extensão do IPA - Macedo de Cavaleiros

Estado: Outros

Objectivos: Relocalizar e avaliar o estado de conservação dos sítios na Extensão de Macedo de Cavaleiros.

Data de Início: 28/10/2003
Data de Fim: 28/10/2003

Resultados: Relocalizou-se o Crasto de Azinhoso. Este arqueossítio revela uma ocupação cuja cronologia parece fixar-se exclusivamente no período romano. Embora não fossem identificados vestígios evidentes de uma fortificação, o relevo desenha um pronunciado talude que poderá corresponder ao traçado de uma linha de muralha. A superfície do solo da plataforma onde se desenvolveu o assentamento encontra-se juncada de grandes quantidades de vestígios arqueológicos, sendo de salientar os inúmeros fragmentos de tegula, imbrices, tijolo, escórias, além de uma variedade e quantidade significativas de fragmentos de olaria comum de cronologia romana.

Arqueólogos: António Luís Pereira/Responsável

Início | Topo |

 

Xo_oX